domingo, 4 de outubro de 2009

MOVIECOM ARTE - 1 ANO


MOVIECOM ARTE - 1 ANO
Ano passado, a rede de cinemas Moviecom iniciou em Belém o projeto Moviecom Arte, uma de suas melhores iniciativas do ponto de vista cultural para cidade de Belém. Dentro do projeto, a idéia é selecionar filmes em cópia digital para exibição de filmes que dificilmente seriam exibidos dentro do circuito comercial. Com o apoio da ACCPA (Associação dos Críticos de Cinema do Pará), o critério de seleção dos filmes se baseia em títulos que foram premiados e/ou participaram de festivais importantes de cinema e filmes que foram elogiados pela crítica nacional ou internacional. Este ano, para exibição no projeto, também serão considerados filmes nacionais que foram elogiados e participaram de festivais nacionais e internacionais. Com esse projeto, a rede Moviecom procurou criar dentro da sua grade de programação um espaço para o cinemaníaco mais exigente que está constantemente procurando o melhor do cinema, que nem sempre se encontra no esquema do cinema comercial. Com isso, aos poucos, o Moviecom Arte tem conseguido formar uma platéia cativa, sempre interessada na sua programação e claro, sempre querendo mais.
Como uma forma de valorizar o projeto, relembro ao leitor os filmes exibidos entre agosto de 2008 até setembro de 2009:
- “O Escafandro e a Borboleta”de Julian Schnabel
- “Persepólis” de Vincent Paronnaud e Marjane Satrapi
- “Sicko : SOS Saúde” de Michael Moore
- “Santiago” de João Moreira Salles
- “Antes que o Diabo Saiba que Você está Morto” de Sidney Lumet
- “A Banda” de Eran Kolirin-“La Leon” de Santiago Otheguy
- “Longe Dela” de Sarah Polley
- “A Morte de George W. Bush” de Gabriel Range
- “Paranóia Americana” de Jeff Renfroe
- “4 Meses, 3 Semanas e 2 Dias” de Cristian Mungiu
- “Allegro” de Christoffer Boe
- “Império dos Sonhos” de David Lynch
- “Caótica Ana” de Julio Mendem
- “Gomorra” de Matteo Garrone
- “Lemon Tree” de Eran Riklis
- “Ninho Vazio” de Daniel Burman
- “Brown Brunny” de Vincet Gallo
- “Ainda Orangotangos”de Gustavo Spolidoro
- “A Dança da Vida” de Juan Zapata
- “Cashback” de Sean Ellis
- “Glória ao Cineasta” de Takeshi Kitano
- “30 Quadros por Segundo” de Ed Radtke
- “Lanchonete Olympia” de Steve Barron-
-“Gesto Obsceno”de Tzahi Grad
-“Hannah sobe as Escadas” de Joe Swanberg
- “White Palms” de Szabolcs Hajdu
- “O Carregador de Almas” de Conrad Clark
- “O Silêncio de Lorna” de Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne
- “Um Homem Perdido” de Danielle Arbid
- “Estamos Bem Mesmo sem Você” de Kim Rossi Stuart
- “Um Táxi para a Escuridão” de Alex Gibney
- “Entre os Muros da Escola” de Laurent Cantet
- “Novo Século Americano” de Massimo Mazzucco
- “O Sol” de Aleksandr Sokúrov
- “Alexandra” de Aleksandr Sokúrov
- “Canções de Amor” de Christophe Honoré
- “Inútil” de Zhang Ke Jia
- “Desonra” de Masahiro Kobayashi
- “Vocês Os Vivos” de Roy Andersson
- “A Partida” de Yojiro Takita
- “Vitus” de Fredi M. Murer
- “Moscou” de Eduardo Coutinho
- “De Repente Califórnia” de Jonah Markowitz
- “Apenas o Fim” de Matheus Souza
Numa avaliação geral, foram exibidos filmes de várias nacionalidades que revelaram o talento de novos cineastas e confirmaram a força do cinema como arte. Esperando contar com uma maior participação do público neste segundo ano do projeto, para os próximos meses estão agendados para exibição dentro do Moviecom Arte os seguintes filmes:
- “Palavra Encantada” de Helena Solberg
- “Anticristo” de Lars Von Trier
- “A Onda” de Dennis Gansel
- “A Janela” de Carlos Sorín
- “Simonal : Ninguém sabe o Duro que eu Dei”de Claudio Manoel, Micael Langer e Calvito Leal
- “Coração Vagabundo” de Fernando Grostein Andrade
- “A Era da Estupidez” de Franny Armstrong
- “O Nome dela é Sabine” de Sandrine Bonnaire
- “Reze para o Diabo Voltar ao Inferno” de Gini Reticker



Marco Antonio Moreira

2 comentários:

tT4lNmIL0v2HT0Rp2q2X7cEE10u1Wfs- disse...

A ideia do Moviecom Arte é fantástica e absolutamente necessária. No entanto, é inviável para quem trabalha no horário comercial assitir filmes de arte no Castanheira, às 14h, 15h, 16h ou 17h. Não seria possível se viabilizar uma ou duas sessões, no Moviecom Iguatemi, à noite, como fazia o seu saudoso circuito cinearte, Marco?

Paulo M. F. disse...

Realmente o projeto Moviecom Arte é excelente. O horário das sessões realmente não é dos melhores, mas é melhor do que nada e pelo menos temos a chance de ver alguns bons filmes na "tela grande". Domingo (04/10/09) fui ver o documentário sobre o Simonal (aliás, é um excelente documentário). O projeto Moviecom Arte também me deu a chance de ver o vencedor da palma de ouro em Cannes "Entre os muros da escola". Parabéns ao Moviecom, a ACCPA e a todos que viabilizam o projeto. Não sei se é possível, mas seria muito legal inserir dentro da programação do Moviecom Arte filmes excelentes, consagrados e conhecidos do público (tipo: E o vento levou, Casablanca, Dr. Jivago, Lawrence da Arábia, Exorcista, et cetera), pois a maioria das pessoas não teve a chance de ver tais filmes na "tela grande". De resto, VIDA LONGA AO PROJETO MOVIECOM ARTE

Arquivo do blog